Publicada em 15 de dezembro de 2020 às 10h34

SESI encerra ano letivo com certificação de 32 técnicos em Desenvolvimento de Sistemas

As turmas do Serviço Social da Indústria (SESI Amazonas) encerraram as atividades escolares com as duas últimas turmas certificadas na Educação Básica do SESI e na Educação Profissional do SENAI (EBEP). Ao todo, 32 alunos foram certificados no ensino regular e no curso técnico em Desenvolvimento de Sistemas, ministrados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Com “Aula da Saudade”, na última sexta-feira, 11, no SESI Clube do Trabalhador, os alunos comemoraram a dupla certificação e relembraram as conquistas ao longo dos últimos três anos.

As duas turmas do 3º ano do Ensino Médio foram as últimas do SESI Amazonas participantes do EBEP. Para 2021, a instituição dará continuidade, exclusivamente, com a oferta do Novo Ensino Médio Profissionalizante, que une em uma única grade curricular novas matrizes de estudos, carga horária e áreas do conhecimento específica. De acordo com a gerente da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, Ana Karina Holanda, ao final do 3º ano, o estudante receberá certificação única do ensino médio com formação técnica profissional SESI/SENAI.

A programação de conclusão contou também com depoimento de professores, por meio de vídeos, dinâmica entre os alunos, além da certificação do ensino médio e do curso técnico feito pelo SENAI.

Para o ensino fundamental 1 (1º ao 5º ano), da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, o encerramento foi marcado pela apresentação de música com flauta doce com direito a gravação e envio para os pais.

Dentro das aulas de música ofertadas na escola ao longo do ano, os alunos prepararam repertório diversificado e em ritmo natalino trouxeram a música tema “Jingle Bells”, cantigas de roda, como “Borboletinha” e “Cai, Cai, Balão”, além da clássica 9ª Sinfonia de Beethoven, tocada pelos alunos mais velhos do 5º ano.

“Este ano foquei mais nas aulas práticas até por ter sido um ano bem atípico para eles, onde contei ainda mais com a recepção dos pais em casa para que tivesse uma continuidade também dos exercícios com os filhos. Divididos em anos iniciais e avançados, separei músicas com notas mais simples e outras mais complexas para os últimos anos que já têm uma percepção e coordenação motora melhor”, explicou a professora Denise Ruis.

Para o próximo ano, a professora licenciada em música pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM), ressalta que prepara novas atividades envolvendo também a parte teórica. “Começamos a trabalhar com os alunos este ano com a flauta, mas para 2021 pretendemos criar concertos musicais, coral de flautas, além de trazer a parte teórica que é muito importante para acompanhar esse processo de aprendizado”, disse ela.

Comente esta notícia