Publicada em 25 de junho de 2020 às 9h42

Empresas adotam assessoria virtual do SESI para adaptação de ambientes de trabalho

O Supermercado Resende, no bairro Petrópolis, já segue as recomendações do plano de ação traçado pela assessoria virtual do Serviço Social da Indústria (SESI Amazonas), com a adequação de ambientes de trabalho em meio ao coronavírus. Atendendo aos critérios estabelecidos no Ofício Circular 1088/2020 da Subsecretaria de Inspeção do Trabalho (SIT), da Secretaria de Trabalho, o supermercado adotou diferentes medidas para prevenção e controle dos riscos de transmissão visando à segurança e saúde dos trabalhadores e clientes.

Sem pausa nas atividades produtivas desde o início do isolamento, por se tratar de um serviço essencial, o supermercado adaptou-se em curto prazo com as exigências estipuladas pelo governo para garantir o funcionamento do estabelecimento. De acordo com o plano de ação construído pela Assessoria do SESI, após fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o supermercado adotou medidas como sinalizações, equipamentos de proteção e adequações dos banheiros e entrada da loja.

“Atualmente trabalhamos com várias medidas sugeridas pelo SESI.   Adotamos, por exemplo, questionários na entrada do funcionário para saber como é que está a situação dele; recomendamos aos colaboradores e clientes o uso de máscaras, com atenção redobrada ao número ideal de máscaras entregues aos funcionários por dia; e reforço na limpeza”, relata a consultora do Supermercado Resende, Suely Silva.

As recomendações se estendem também para algumas áreas específicas do supermercado, como alterações no banheiro e na entrada da loja. Para garantir o devido asseio das mãos nesses ambientes, a engenheira de Segurança do Trabalho do SESI, Paula Naranjo, revela que foi sugerida instalação de dispositivos apropriados para minimizar o contato, a exemplo da troca das torneiras rosqueadas.

“Antes, nos banheiros feminino e masculino, haviam rolos de papel toalha sobre as pias. O ideal é que fiquem armazenados em dispositivos apropriados para esse fim, para evitar o manuseio, garantindo o devido asseio do material. Foi sugerido, também, que não se utilize torneiras  rosqueadas, pois não são ideais para a devida higienização das mãos”, contou Naranjo, ao ressaltar que, após recomendações, o supermercado realizou as correções e, inclusive, instalou um lavatório na entrada da loja para que os trabalhadores e clientes façam a higienização das mãos antes de entrar no local.

Adequação e consultoria em alimentos

A Fábrica Virrosas também foi uma das que se adaptou em meio a pandemia com o auxílio da consultoria do SESI. As modificações estão sendo feitas desde maio, preventivamente, para evitar notificações pelos órgãos responsáveis e prezar pela saúde, evitando a propagação do vírus entre os colaboradores e clientes. A gerente da Virrosas, Marilin Maia, disse que a empresa modificou a rotina de alimentação dos colaboradores, além da adoção do uso de equipamentos de proteção descartáveis.

“Nossos colaboradores, antes da pandemia, faziam as refeições em restaurantes fora da empresa. Hoje, para evitar as saídas durante o expediente, temos um fornecedor e os funcionários fazem as refeições lá dentro (café e almoço), mantendo a distância das mesas. Para os colaboradores que se transportam de ônibus, uso de máscaras e luvas no translado é indispensável. Orientamos todos em reuniões por vídeo”, frisou ela.

A Cintia Cachoeirinha – Panificadora e Confeitaria sofreu queda nas vendas devido a redução de alguns serviços, como o almoço self-service, que era o carro-chefe e representava 50% do retorno financeiro.  Mas, de acordo com o proprietário, Francijander Oliveira, a venda dos almoços já foi retomada com algumas precauções.

Para isso, o espaço físico da panificadora sofreu muitas alterações. “A principal mudança: tive que retirar 22 duas mesas e ficar somente com oito para atender as recomendações de dois metros de distanciamento. O uso de máscara e óculos de proteção na cozinha se tornou obrigatório, além da retirada de temperatura dos colaboradores”, disse Oliveira, ao relatar que as ações fazem parte das recomendações do governo e são auxiliadas pela assessoria do SESI. “Precisávamos de alguém de fora para nos orientar para as evidências de boas práticas”, destacou o empresário.

 

 

 

 

 

 

 

 

A Assessoria Virtual do SESI ocorre em três etapas e o serviço é 100% online. Primeiramente é feito o autodiagnóstico online no formato de plantão tira-dúvidas durante o preenchimento das empresas. Em seguida, o SESI gera o relatório situacional e, por fim, entrega para a empresa um plano de ação de adequações necessárias com protocolos técnicos contendo as principais medidas de controle e prevenção à covid-19. Os Interessados em obter mais informações sobre a assessoria podem entrar em contato pelos telefones 98432-4104/ 98432-3860/ 98432-5184 ou pelo e-mail rcm@sesiam.org.br

Comente esta notícia
Pular para a barra de ferramentas