Publicada em 8 de março de 2020 às 10h00

Festival SESI de Robótica começou nesta sexta com equipes do Amazonas

Foi dada a largada para o Festival SESI de Robótica no Pavilhão da Bienal, em São Paulo (SP). Vinte e dois alunos das Escolas SESI do Amazonas participam de hoje (6) a domingo (8) no Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, com projetos inovadores para solucionar problemas reais para cidades do futuro. A delegação amazonense formada pelas equipes Lego Master, da Escola SESI Parintins, Apuema Korê, Escola SESI de Itacoatiara, e a Team Prodixy, da Escola SESI de Manaus, competem com equipes de todo o Brasil.

Ao todo são 100 equipes, reunindo 1,5 mil alunos de todo o país no Festival, nas competições de robótica First Lego League (FLL), First Tech Challenge (FTC), F1 in Schools e First Robotic Competitions (FRC). Dividido em programação de três dias, o evento conta nesta sexta-feira (6) com treinos nas mesas oficiais, ajustes finais nos robôs para atuar nas competições, montagem dos estandes de cada equipe para apresentação e ensaios para as avaliações que terão ao longo dos torneios.

“Estamos confiantes com a nossa proposta de construção do carro deste ano que será apresentada aos juízes e usada na competição. Conseguimos trabalhar a aerodinâmica para que fique o mais leve possível e acreditamos que esse seja o nosso trunfo, além do cuidado no desenvolvimento dos aerofólios, para cortar bastante a questão do vento e ganhar tempo na pista de 20 metros. Estamos com a meta de bater um segundo ou chegar o mais próximo disso”, explicou o técnico da equipe Apuema Korê, Eric Melo.

Para disseminar a cultura amazonense, a equipe apostou no nome de origem Tupi que significa “flecha veloz”, o que vai ao encontro, de acordo com o técnico dado objetivo da competição F1 in Schools, de aliar velocidade, aerodinâmica e força, que a equipe exemplifica com a flecha. “Nas apresentações vamos buscar sempre exaltar o que temos de melhor no estado, por conta de sermos a única equipe do Amazonas nesta competição”, disse ele.

A equipe Lego Master compete com projeto voltado à revitalização sustentável de um patrimônio histórico abandonado no município de Parintins – a praça Eduardo Ribeiro, localizada no centro da cidade. A equipe, que disputa na FLL, destinou o primeiro dia para o desempenho do robô nas pistas oficiais da Temporada City Shaper 2019/ 2020 (Cidades Inteligentes).

Em busca da etapa internacional da disputa, o técnico da Lego Master, Helyssandro Tavares, conta que serão ao todo 40 vagas destinadas para os torneios internacionais que ocorrem ainda em abril, em Houston, Texas (EUA); maio, em Thessaloniki, na Grécia e, em Fayetteville, Arkansas (USA); em junho no Rio de Janeiro, e o último que será em julho em Sydney, na Austrália.

Pais apostam na robótica para futuro dos jovens

Por meio das competições, jovens são preparados para desafios do futuro e a desenvolver habilidades que desde cedo podem trazer bons frutos para dentro e fora de sala de aula. E os pais dos alunos reconhecem que competições estimulam os estudantes para o gosto por carreira nas áreas de matemática, engenharia, ciências e tecnologia.

Silvia Kenmochi, 42, mãe do aluno Nelson, 15, da equipe Team Prodixy participante da FTC, por exemplo, estimula o filho no gosto pela programação. De acordo com Kenmochi, Nelson sempre demonstrou curiosidade e interesse pelo assunto, e nas competições de robótica do SESI tem desenvolvido habilidades para programar o robô nas diferentes missões da área.

“Essa é a segunda vez dele nas competições nacionais e percebo que a cada ano ele se envolve mais e quer sempre melhorar o desempenho. Para esse ano, já me disse que está confiante para ficar entre as melhores equipes e quem sabe ser selecionado para competir na etapa internacional”, contou Silvia, ao falar que acompanha e aprende com o filho diariamente. “Ele adora me ensinar o que aprende, diz que é uma forma de exercitar mais sobre o assunto”.

Veja programação completa do Festival SESI de Robótica deste Final de Semana:

2º dia- Sábado (7)

8h – Início das atividades e competições – FLL, FTC e F1 in Schools.

9h às 12h – Oficina ACESSE- Ancestralidade e tecnologias, com Rodrigo Bueno e Ricardo Brazileiro.

14h às 17h – Oficina ACESSE- Sistemas e cidades, com Isabela Prado e Sofia Galvão.

18h30- Fim das competições do segundo dia.

  • 3º dia- Domingo (8)

8h – Início das atividades e competições- FLL, FTC e F1 in Schools.

9h às 12h – Oficina ACESSE- Programação e algoritmos, com Mônica Nador e Diego Cerqueira.

14h às 17h – Oficina ACESSE- Visualização de dados, com Vitor César e Bárbara Castro.

14h – Cerimônia de premiação FTC.

15h – Cerimônia de premiação F1 in Schools.

16h – Cerimônia de premiação FLL.

17h30 – Encerramento.

Comente esta notícia
Pular para a barra de ferramentas