Publicada em 7 de fevereiro de 2020 às 6h26

Torneio SESI de Robótica traz soluções para Cidades Inteligentes

Equipe “Adsumus”, da Escola SESI Centro Educacional Isolina Ruttmann, em Vilhena (RO), fez hoje (7) sua estreia na Etapa Regional ao Torneio SESI de Robótica First Lego League (FLL) no SESI Clube do Trabalhador. Os alunos competem na categoria Projeto Inovador da temporada, após enfrentarem longa jornada de viagem, juntamente com a equipe Elev3r, vice-campeã da temporada em 2019. Foram 12 horas de ônibus até Porto Velho (RO) mais 6 horas de espera para voar para Manaus (AM), e 1h30 de avião até a capital.

A “Adsumus” (em latim Estamos presentes, juntos), desenvolve projeto voltado para reorganizar as barracas das feiras livres cobertas da comunidade local. A ideia é tornar cada vez mais acessível para a população o encontro dos produtos e serviços no espaço, melhorando a desorganização das barracas existentes hoje. Para resolução do problema, segundo a membro da equipe, Bianca Pereira, 15, já é experimentada uma setorização das barracas, porém sem muito estudo com as cores, sendo feito de forma aleatória.

“A solução que encontramos é setorizar por cores com sentidos lógicos juntamente com um guia de orientação pela feira, o que resolve o problema tornando mais organizado e de mais fácil acesso aos produtos e serviços, como por exemplo, utilizando cores quentes para estimular a fome”, explicou ela.

Cidades Inteligentes para o futuro é o tema desafio para os projetos criados e apresentados hoje e amanhã, 6 e 7, por 300 alunos das escolas públicas e privadas de todo a região norte no Torneio SESI de Robótica First Lego League (FLL). Competem representantes dos estados do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima. Os finalistas vão para a etapa nacional do torneio nos dias 6, 7 e 8 de março em São Paulo (SP).

Outro projeto que faz parte do Torneio e foi criado pela escola campeã da última etapa regional, o Centro de Ciência, Tecnologia e Inovação (CCTI), escola municipal de Boa Vista (RR), pretende estimular crianças ao aprendizado na faixa da “primeira infância”. Os alunos trazem esse ano a criação e adaptação de brinquedos em praças públicas, utilizando a interatividade. Segundo o membro da equipe, Luciano Sampaio, 12, a ideia é trabalhar a autonomia, tendo novos estímulos e desenvolvendo melhor o cérebro.

“O projeto é voltado para o período em que as crianças aprendem mais informações e por isso o cuidado para ter boas instruções e estudos neste início da vida. Alinhado com a temática, o importante com os projetos desta temporada ‘City Shaper’ não é só trabalhar uma lixeira inteligente ou um prédio inteligente, nós necessitamos de pessoas inteligentes”, contou ele.

No primeiro dia de evento, além da competição entre as 29 equipes participantes da região norte houve apresentação das palestras “Lean Startup” – pela engenheira química Larissa Queiroz, e “Como transformar uma ideia em negócio”, pela líder de inovação da Secretaria Municipal de Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi), Clarissa Oliveira. À tarde, a programação contou com roda de conversa sobre “Como a robótica está mudando nossas vidas?”, feita pelo Kid Mahal.

A etapa regional, com entrada gratuita, encerra-se amanhã (sábado) com oficinas de robótica em horários diferenciados, apresentação e experimentos com a equipe de cientistas do grupo “Ciência em Show”, e exposição de filmes e jogos interativos, além das semifinais e finais das competições de robótica das vinte e nove equipes participantes do Torneio.

Na abertura do evento, a participação e animação dos competidores, juízes e técnicos foram ressaltadas pela especialista em tecnologias Educacionais do SESI Nacional, Perla Amorim, como o verdadeiro significado da competição que une robótica e tecnologia para desenvolver projetos que visam melhorias, primeiramente, beneficiando sua comunidade e o entorno, que podem ser ampliados para as cidades como um todo.

“Torneio como esses promovidos pelo SESI são o momento para vocês se conhecerem e se projetarem para o futuro. O que vale aqui é o conhecimento e o aprendizado que vocês levam. Ao todo 5.530 participantes se inscreveram nas etapas regionais de todo o Brasil, sendo destes 43% meninas competidoras o que incentiva cada vez mais as participações nas mais diversas áreas, da programação ao projeto de pesquisa”, disse ela, ao relembrar que a realidade mudou bastante ao longo dos anos, tendo a presença de meninas cada vez mais na parte da programação em si.

Amorim ressaltou ainda números expressivos de participação dos juízes voluntários nos torneios. Ao todo no Brasil 970 juízes se inscreveram para avaliar em diferentes etapas da competição que envolvem Design do Robô, Desafio do Robô, Core Values (valores da equipe) e Projeto de Inovação.

Veja programação do 2º dia da Etapa Regional Norte – Torneio de Robótica:  

2º dia- Sábado (8)

Ginásio

8h – Início das competições oficiais

14h20 – Partidas semifinais

15h – Finais

15h20 – Show Ciência em Show

16h – Cerimônia de premiação e encerramento

  • Programação Oficina de Robótica no hall

10h às 11h – 14h às 15h -15h às 16h

Comente esta notícia
Pular para a barra de ferramentas