Publicada em 14 de agosto de 2019 às 3h07

CMM faz homenagem aos 70 anos do SESI nesta quinta

Nos últimos 70 anos, o SESI encarou dois grandes desafios, de oferecer educação de excelência voltada para o mundo do trabalho e de aumentar a produtividade da indústria promovendo a saúde e a segurança do trabalhador. Essa história será contada mais uma vez nesta quinta-feira (15), às 14h, na homenagem que a Câmara Municipal de Manaus faz à instituição, criada no Brasil em 1946 e que chegou ao Amazonas em 1º de janeiro de 1949.

Para o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas e diretor regional do SESI, Antonio Silva, a homenagem, proposta pelo vereador Elissandro Bessa (Solidariedade), de certa forma reconhece o papel do SESI no desenvolvimento da indústria brasileira nas últimas sete décadas. “O surgimento do SESI se confunde com o início da fase decisiva da industrialização no Brasil e sua trajetória segue de perto o desenvolvimento e modernização da indústria brasileira”, diz Silva.

Criado por meio do Decreto-Lei nº 9.403, assinado pelo presidente Gaspar Dutra, o Serviço Social da Indústria nasceu efetivamente no dia 1º de julho de 1946, sob a liderança de dois empresários da indústria brasileira que passaram à história, Roberto Simonsen e Euvaldo Lodi, responsáveis por incutir no governo a ideia de se “promover a integração e a solidariedade entre patrões e empregados” no segmento industrial. Desde o início, o SESI esteve vinculado à necessidade de se criar um plano de ação social para o Brasil aliado ao propósito de melhorar a qualidade de vida do trabalhador da indústria.

No Amazonas, onde começou a funcionar como Delegacia Regional até ser elevado à categoria de Departamento Regional, em 1961, o SESI acompanhou de perto a transformação da economia local nas fases pré e pós-Zona Franca de Manaus, culminando com a consolidação do Polo Industrial de Manaus.

Entidade de direito privado, mantida e administrada pela Indústria, o SESI, assim como o SENAI, tem sua receita oriunda da contribuição compulsória das empresas aplicada em recursos físicos ou humanos necessários ao bom desempenho das duas instituições no cumprimento de seus objetivos.

“O retorno da aplicação desses recursos para a sociedade nos deixa muito orgulhosos. Hoje, o SESI figura entre as instituições brasileiras com melhor desempenho no Sistema de Avaliação da Educação Básica, o Saeb”, explica Antonio Silva. O SESI atende mais de 1 milhão e 200 mil pessoas com educação básica, educação continuada e educação de jovens e adultos de Norte a Sul do Brasil.

Como exemplo da qualidade do ensino SESI, Antonio Silva cita a recente aprovação de seis alunos da Escola SESI Abrahão Sabbá, de Itacoatiara, a 269 quilômetros de Manaus, no PSI (Processo Seletivo do Interior), da Universidade Federal do Amazonas. “Esses alunos foram aprovados com médias altas e já entrariam este ano na Ufam se não estivessem ainda cursando o ensino médio”, explica o diretor.

Três das cinco escolas do SESI no Amazonas estão no interior do Estado – além de Itacoatiara, tem Iranduba e Parintins – as três agora integradas ao SENAI, depois da otimização dos espaços das duas instituições, a partir de 2018, e da estratégia nacional de unir a educação básica ao ensino profissionalizante.

Atualmente, o SESI conta em média com 3.800 alunos matriculados na educação básica. No primeiro semestre deste ano, atendeu 2.562 alunos na Educação de Jovens e Adultos, e 2.683 na Educação Continuada.

Atendimento prioritário

Na área da Saúde, o SESI passou a alinhar as suas ações às necessidades de Saúde e Segurança no Trabalho, com atendimento prioritário ao trabalhador da indústria. O atendimento médico assistencial foi ampliado nas especialidades mais procuradas, como pneumologia, neurologia, ortopedia, oftalmologia e fisioterapia.

De acordo com o diretor, entre os programas e serviços oferecidos às indústrias do PIM, o SESI tem em seu portfólio desde a Higiene Ocupacional (avaliação de riscos químicos, de ruído, qualidade do ar e vibração) até os programas legais, incluindo a Análise Ergonômica dos Postos de Trabalho. “Em Promoção da Saúde, que forma com SST o campo geral da Saúde e Segurança na Indústria, oferecemos programas de vacinação, Programa Psicossocial, Saúde da Mulher e Homem Saudável”, informa.

No primeiro semestre de 2019, o SESI atendeu, por meio de SSI, 107.409 trabalhadores de 627 indústrias do PIM, com serviços que incluem 18 especialidades médicas, saúde bucal, Saúde e Segurança no Trabalho e Ginástica na Empresa.

Ainda na área da Saúde, o SESI está dando mais um passo na aproximação do trabalhador e da indústria com a inauguração, no próximo dia 27 de setembro, da Unidade Leste do SESI SAÚDE, localizada no Clube do Trabalhador, uma unidade autônoma no bairro São José, onde serão oferecidas sete especialidades médicas, e também atendimento com Pilates, Odontologia, Coleta Laboratorial, Ultrassonografia e Audiometria.

Aos 70 anos no Amazonas, o SESI avança para se tornar parceiro preferencial das indústrias também no mundo virtual com a plataforma SESI VIVA +, lançado no início de 2019. O programa torna 100% digital a comunicação de contribuições previdenciárias, folha de pagamento, FGTS, além de fazer a gestão dos indicadores de saúde e segurança do trabalho, informações trabalhistas, tributárias e fiscais.

“Do início, com a Carta da Paz Social que norteou suas ações por muitos anos, até a modernização do seu modelo de gestão com foco em resultados, alto desempenho, redução de custos e aumento da produtividade, o SESI, tem procurado estar à altura do seu tempo”, diz Antonio Silva.

Comente esta notícia
Pular para a barra de ferramentas