Publicada em 18 de março de 2019 às 7h58

Amazonas terá representantes em competição de robótica inédita no Rio de Janeiro

O trio formado pelos alunos Felipe Galdino, 13, Matheus Masaki, 13, e José Santo, 14, da Escola SESI Abrahão Sabbá – localizada no município de Itacoatiara há 269 quilômetros de distância de Manaus-, enfrentou cinco horas de viagem de ônibus a Manaus e mais quatro horas de voo para chegar a capital do Rio de Janeiro (RJ) e participar do Torneio SESI F1 in Schools (F1 nas Escolas), neste fim de semana (16 e 17). O programa educacional pioneiro no SESI Nacional reproduz os desafios da corrida de Fórmula 1 e envolve alunos de 13 a 18 anos.

Os alunos vão projetar carros em miniatura de Fórmula 1 e serão treinados no uso do software de engenharia “Fusion 360 Autodesk” para projetar um carro leve e com boa aerodinâmica, capaz de percorrer uma pista de 20 metros no menor tempo possível. A equipe da Escola SESI de Itacoatiara, chamada de “Libélula”, desenvolveu um carro com característica do inseto que leva o nome da equipe. A construção do carrinho se baseou na aerodinâmica do animal. Além da “Libélula”, vão participar mais quatro equipes do SESI Amazonas. 

Para isso, os alunos construíram uma empresa (escudeira de F1) para dar andamento nas etapas do projeto. “O programa tem objetivo de preparar os alunos para desafios do mundo profissional. Sendo assim, precisam construir um plano de negócios (gestão de projetos, orçamento, comunicação e relações públicas) para desenvolver todo seu trabalho em tempo hábil”, explicou a técnica da equipe, Suelene Amazonas.

Como a missão e os valores da escuderia de F1, criada pelos alunos, tratam da importância da sustentabilidade e preservação da biodiversidade Amazônica, a equipe transformou os cilindros de CO2 (motor do carro) em chaveiros para não serem descartados no meio ambiente.

“Os alunos têm que projetar em plataforma 3D os protótipos dos carros, precisam fabricar o carro no bloco de poliuretano, e apresentar os portfólios de plano de negócios, design, engenharia, marketing e mídias sociais”, contou Amazonas. O diferencial da competição é o estimulo ao empreendedorismo, que envolve desafios mais complexos para construção de estratégias em equipes para competição.

Para o torneio com 17 equipes de todo o Brasil, a equipe do SESI Itacoatiara levou três carros, dois para participar das corridas e um para amostra no estande. A construção foi feita em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Amazonas). “Estamos confiantes para representar a região e a partir do torneio dar mais visibilidade para a região amazônica, que precisa de politicas de sustentabilidade e preservação da sua biodiversidade. Somos os únicos representantes do estado e isso é motivo de orgulho”, ressaltou Amazonas.

A Escola SESI Abrahão Sabbá já venceu no ano passado o Desafio de Robótica da Olimpíada do Conhecimento, em Brasília. Com a construção dos robôs programados para executar de forma autônoma e teleguiada,  as equipes “4Legends” e “Genius.com” competiram com alunos de todo o país participantes das competições robótica.

Comente esta notícia
Pular para a barra de ferramentas