Publicada em 25 de janeiro de 2019 às 5h12

Novos hábitos ajudam a manter a saúde mental

Mudança de hábito deve fazer parte do projeto de vida

“Saber o que quer e aonde quer chegar diminui a insatisfação interior, o mal-estar e a tristeza de não aproveitar bem o tempo que se tem”, disse o psicólogo, especialista em Psicopatologia Clínica do Serviço Social da Indústria (SESI Amazonas), Adonias Sampaio, em palestra com o tema “Projeto de vida”, realizado no SESISAÚDE, nesta sexta-feira, 25, dando continuidade à Campanha Janeiro Branco – Saúde mental.

De acordo com Sampaio, o projeto de vida está vinculado de forma direta com a felicidade, pois o que o ser humano quer é ser feliz, estar realizado com a forma que escolheu ou planejou para viver. Esse projeto de vida inclui os planos que acrescentam bem-estar a uma pessoa que é consciente daquilo que quer e luta para conseguir.

Sampaio explica que janeiro, por ser o mês que geralmente as pessoas fazem todo o planejamento do ano, seja financeiro ou de sonhos a serem realizados no decorrer do ano, foi escolhido para a realização da campanha “Janeiro Branco”, com ações em todo o mundo, como palestras e intervenções, que tratam sobre a saúde mental, e falar sobre projeto de vida é falar sobre saúde mental, frisa.

“Anotar tudo. Para todo e qualquer planejamento, é importante tomar nota”, diz Sampaio. Os registros são válidos para acompanhar a evolução das ações descritas, para que ao final do prazo consiga enxergar o que foi concretizado de fato e, caso não tenha sido, avaliar o porquê de não ter cumprido a meta.

Como uma das ações para concretizar esses objetivos, deve-se avaliar o que se pretende alcançar no prazo de no mínimo cinco anos, e acompanhar a evolução, como já é o caso da dona de casa, Rosângela Gonçalves, 46, que hoje cursa Farmácia, mas que em um futuro bem próximo pretende ter seu próprio negócio. “Pretendo e estou lutando por isso para alcançar esse objetivo, pois sei que sou capaz”, disse Gonçalves.

Hoje no ambiente laboral, Sampaio esclarece que não basta ter apenas qualificação técnica, tem que ter qualificação comportamental, saber como lidar com mudanças, criar um estilo mais adaptativo a essas mudanças, além de ser criativa e paciente no local de trabalho, ter valores que ajudem a alcançar a missão da empresa e a missão presente no projeto de vida traçado. “Os valores pessoais conduzem nosso comportamento, então se você é uma pessoa negativa, irritada, agressiva, é importante repensar quais valores têm conduzido esses comportamentos no seu ambiente de trabalho”, observa o especialista.

Novos hábitos também são de grande importância para manter o equilíbrio mental e alcançar os objetivos. Nas empresas, entre os problemas que atrapalham o desempenho do trabalhador, dentro e fora do ambiente laboral, estão o uso de drogas ilícitas, problemas familiares, aposentadoria – sim aposentadoria, que se torna um problema para aqueles que não planejaram se desligar de suas empresas e, agora que isso vai acontecer, não conseguem trabalhar novos projetos para preencher o vazio que o trabalho irá deixar, sendo necessário fazer o resgate de novos hábitos, com nova rotina.

Empresas buscam os serviços psicológicos para manter o equilíbrio organizacional, e tratar casos coletivos, como conflitos interpessoais, mas também casos isolados, como assédio moral, que influenciam no dia a dia dessa pessoa e de todos que estão a sua volta, quebrando todo e qualquer planejamento.

Para saber mais sobre os serviços de psicologia oferecidos pelo SESI, é disponibilizado os números 3186-6610 ou 3186-6611 ou balcão de informações na sede localizada na Avenida Getúlio Vargas, 1116, Centro, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 20h30 e aos sábados das 7h30 às 11h.

Comente esta notícia
Pular para a barra de ferramentas