Publicada em 17 de janeiro de 2019 às 5h46

SESI Viva+ é lançado no Amazonas para atender ao eSocial

Para atender ao eSocial as empresas precisam entender que devem trabalhar com todos os setores integrados, disse Pescosolido

O Serviço Social da Indústria (SESI Amazonas) lançou nesta quinta-feira (17), no SESI Clube do Trabalhador do Amazonas, o SESI Viva+, plataforma digital para apoiar empresas no gerenciamento dos programas de saúde e segurança do trabalho e promoção da saúde. Participaram do evento de lançamento cerca de 200 representantes do Polo Industrial de Manaus (PIM).

De acordo com o presidente em exercício do Sistema FIEAM, Nelson Azevedo, a plataforma SESI Viva + pretende atender às demandas do eSocial e das indústrias em gestão de SST e Promoção da Saúde, pois traz o benefício de ser um ambiente único de dados de saúde e segurança, e estilo de vida do trabalhador da indústria brasileira.

“O SESI VIVA + vem para possibilitar a geração de informações qualificadas e estruturadas, além de dados para realizar estudos epidemiológicos como apoio às indústrias na redução de riscos legais, na redução de custos com saúde e afastamentos, na prevenção de acidentes e aumento da produtividade no trabalho”, disse Azevedo.

Para a engenheira e especialista do eSocial do SESI Paraná, Alessandra Rolim Pescosolido, as empresas precisam se adequar às exigências do eSocial e encontradas na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Não há novas exigências, apenas nova forma de comprovar se a empresa está cumprindo a legislação, diz a especialista.

“Se a empresa exige um trabalhador, se precisa realizar o exame periódico do trabalhador, ela tem que encaminhar isso para o Governo Federal, vai ser uma forma de realmente comunicar que está seguindo às leis”, explica Pescosolido.

Pescosolido explica que, quando se fala de eSocial, é preciso compreender que será necessário envolver diversos setores da empresa como a alta gestão, Recursos Humanos (RH), Saúde e Segurança, T.I, Contabilidade e Jurídico, para que as informações cheguem unificadas no eSocial, sem falhas, e principalmente, com metas atingidas.

“Não é cabível que uma empresa que cumpra todas as exigências do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), por exemplo, não diminua os riscos existentes no local de trabalho, se realmente realiza seus exames periódicos. É nesse sentido que o eSocial vai comprovar as informações repassadas a ele”, disse a especialista.

E para atender a essa necessidade das empresas foi que o SESI reuniu uma equipe multidisciplinar com 54 profissionais de todo o Brasil e desenvolveu a plataforma adaptada a essa nova realidade: O SESI Viva +, frisou a especialista.

Gerente executivo de SSI do SESI Nacional, Emmanuel Lacerda, apresenta plataforma a aproximadamente 200 representantes do PIM

“Não estamos mais falando em apenas cumprir prazos de envio de documentos e do simples cumprimento legal, estamos falando em gestão efetiva com acompanhamento dos históricos e evidências da redução do adoecimento, que geram mais economia e qualidade de vida para a empresa e colaboradores”, disse o gerente executivo de Saúde e Segurança na Indústria do SESI Nacional, Emmanuel Lacerda.

Lacerda explicou que o SESI Viva + é um sistema para que empresas tenham acesso a todas as informações de indicadores de SST, inclusive, o próprio trabalhador vai poder utilizar, por meio de um aplicativo móvel. A empresa vai poder interagir quando esse trabalhador realizar qualquer tipo de curso ou capacitação, e colocar seu certificado, diploma na plataforma para acesso dos seus superiores, até como comprovante de que segue a legislação.

A superintendente do SESI Amazonas, Rosana Vasconcelos, explica que com a plataforma é possível conhecer dados sobre saúde e hábitos dos trabalhadores para apoiar indústrias na prevenção de doenças e acidentes, na redução de custos com saúde e afastamentos e na diminuição de custos com planos de saúde.

“O SESI Viva + é uma iniciativa do Departamento Nacional, compartilhada para todos os Regionais e, por meio de parcerias importantes, como a do Hospital Sírio-Libanês, realizará estudos epidemiológicos para avaliar possíveis agravos à saúde do trabalhador”, frisou Vasconcelos.

Gerente de SST e Especialidades Médicas do SESI Amazonas, Cláudio Palheta, acrescentou que a plataforma irá garantir às indústrias amazonenses o que há de mais moderno e eficiente em saúde e segurança no trabalho e conta com parcerias de instituições internacionalmente reconhecidas nessas áreas como o Instituto de Saúde Ocupacional da Finlândia, o media X da Universidade de Stanford e a Universidade de Harvard.

Na ocasião, o SESI homenageou empresas parceiras e que já aderiram à plataforma SESI Viva +, a exemplo da Isoteck da Amazônia, representada pela Mabilly Paes do RH, que se disse muito satisfeita com os serviços do SESI Amazonas. “Nossas obrigatoriedades com o eSocial em relação ao SST são apenas para 2020, mas já estamos nos antecipando para o bem-estar de todos os nossos funcionários”, frisou Paes.

Comente esta notícia
Pular para a barra de ferramentas