Publicada em 5 de novembro de 2019 às 2h39

SENAI e Nakata fazem atualização sobre suspensão na Rota do Reparador

Representantes do setor automotivo de Manaus, especialmente os reparadores, receberam atualização técnica e tecnológica sobre suspensão, na primeira atividade do Programa Rota do Reparador promovido em parceria pela Oficina Brasil e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Amazonas). O evento, que busca aproximar empresas de mecânicos independentes e alunos do setor, terá uma segunda edição ainda este ano, em 10 de dezembro, com a Shell, líder mundial na produção de lubrificantes.

A fabricante de autopeças para o mercado de reposição automotiva, Nakata Autopeças foi a empresa convidada a abrir o programa e, segundo seu supervisor de treinamento, Eduardo Guimarães, 52, apresentou informações de causa e efeito, e solução de problemas, a partir da ideia de que o profissional reparador, que faz uso direto do produto, tenha uma maior facilidade de aplicação e um bom retorno com o serviço realizado.

“Atuamos na Nakata com uma linha completa de componentes para suspensão, freios, transmissão e motor, todos voltados para o mercado de reposição para veículos leves, pesados e motocicletas. Aqui no Amazonas estamos, na maioria das lojas de autopeças, com itens da nossa linha, principalmente na parte de suspensão e direção, com amortecedores, pivôs e caixas de direção”, disse Eduardo Guimarães.

Com dicas para a melhoria da manutenção dos veículos, Guimarães ressaltou aos mecânicos presentes, os cuidados que se deve ter no uso de amortecedores recondicionados, principalmente na questão econômica. Com a função de absorver os impactos causados ao veículo pelas irregularidades das pistas, controlar a direção de percurso e manter o alinhamento das rodas e dos pneus em contato com o solo, os amortecedores em boas condições também podem influenciar na vida útil de diversos componentes do carro, como os pneus e peças do sistema de freios.

De acordo com o supervisor de treinamento da Nakata, é importante saber a diferença na hora de escolher entre uma peça nova e uma recondicionada e os seus riscos. O componente recondicionado é um amortecedor que já foi usado em outros veículos até o limite de sua vida útil e que apesar do preço mais barato comparado com um produto novo, segundo ele, pode trazer consequências para a segurança do veículo e um alto custo no futuro.

“As pessoas procuram economizar e acabam optando por aplicar amortecedores recondicionados e isso tudo gera um risco, porque é uma peça fundamental da suspensão e um item de segurança que pode comprometer a dirigibilidade do veículo, estabilidade, espaço de frenagem, entre outras coisas. Então, a ideia é mostrar que uma peça nova tem uma vida útil bem prolongada e um beneficio enorme para seu bolso e sua segurança”, explicou Guimarães.

Dentre os riscos do uso do componente recondicionado, as peças podem apresentar vibrações e ruídos na suspensão; em pistas com buracos e curvas a estabilidade também é comprometida, além de oscilações excessivas principalmente depois de arrancadas e freadas mais intensas. “Essas modificações resultam em deterioração precoce dos pneus e de outros componentes da suspensão, como molas, pivôs e barra estabilizadora, o que acaba danificando em médio prazo e causando gastos maiores do que se tivesse adquirido uma ‘peça nova’ desde o principio do problema”, apontou ele.

Para o professor de mecânica do Instituto Federal do Amazonas (Ifam) e também dono de oficina, André Huck Enriconi, 46, as dicas dadas no evento são essenciais para promover a troca de experiências e atualizar os profissionais do mercado atuantes no Estado. Segundo ele, eventos como esse são raros apesar de ser uma boa prática para os dois lados, tanto para os alunos que estão entrando nesse mercado e se interessam por novidades, como para os profissionais atuantes na área que precisam se atualizar e aprender dicas para aplicar na rotina das oficinas e no seu próprio automóvel.

“Na minha oficina e dentro de sala de aula costumo usar muito as peças da Nakata de amortecedores e peças de suspensão. A palestra promovida pela Oficina Brasil em parceria com o SENAI me trouxe dicas para melhoria de ajustes e manutenção preventiva nos veículos, inclusive o meu. Com informações sobre o melhor uso de cada componente irei repassar para os meus alunos em sala de aula e minha equipe de trabalho da oficina”, contou Enriconi.

Em Manaus, a Rota do Reparador realizará dois ciclos de palestras. A primeira, com a empresa Nakata, no dia 8 de outubro, voltada para público exclusivo de reparadores, e a próxima, no dia 10 de dezembro com a empresa Shell, líder mundial em vendas de lubrificantes, que terá palestra para alunos, docentes e o público de reparadores.

Comente esta notícia
Pular para a barra de ferramentas