Publicada em 29 de maio de 2019 às 7h42

Escola SENAI faz 15 anos com mais de 32 mil alunos certificados na construção civil

A Escola SENAI Demóstenes Travessa (ESDT), no Distrito Industrial, ao completar 15 anos de atividades, nesta terça-feira (28), comemorou o resultado alcançado: 32.063 alunos já foram para atuar na área da construção civil ao longo de sua história. Dotada de laboratórios de ensaios cerâmicos, CAD, informática, elétrica, hidráulica, Drywall, marcenaria e a área de segurança eletrônica, a Escola SENAI também disponibiliza equipamentos de última geração para atender às demandas do mercado local.

“O setor da construção civil é notadamente um dos mais importantes que a gente tem dentro do segmento industrial. O SENAI, em particular, se preocupa muito com a área, porque temos que auxiliar na questão da inovação do setor, dando apoio à produtividade das construtoras e empresas, trabalhando também para bem qualificar os profissionais”, disse o diretor regional do SENAI, Rogério Pereira.

Interessado em se especializar cada vez mais na área de construção civil e com o sonho de ter o próprio negócio na área, o autônomo, Mauro Passos, 33, atualmente faz graduação em engenharia civil, foi estimulado para a profissão após se tornar egresso nos cursos do SENAI de: Cadista para a Construção Civil, Almoxarife de Obras, Eletricista Instalador Residencial, Pedreiro de Alvenaria e Instalador Hidráulico Residencial.

“Busquei o SENAI para me qualificar e aprender de acordo com as normas de saúde, segurança e meio ambiente, agregando mais conhecimento técnico em todas as áreas. Acabei buscando sempre mais, um curso me levou a outro, lembro que trabalhava como pedreiro e precisei fazer o curso de hidráulica para resolver, desenvolver e executar pequenos projetos residenciais e fui atrás do SENAI para me qualificar como Instalador Hidráulico Residencial”, disse Passos, que concluiu o último curso em 2017 na Escola SENAI.

A busca pela área da construção civil começou em 2015, ao realizar o curso de qualificação de Pedreiro de Alvenaria pela Escola SENAI Demóstenes Travessa.  Atraído cada vez mais pela área, Passos fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para ingressar em uma faculdade no curso de engenharia civil e conseguiu bolsa integral no Centro Universitário Luterano de Manaus Ceulm/Ulbra.

“O meu objetivo atual é conseguir concluir o curso de engenharia civil e futuramente abrir o meu próprio negócio na área com os conhecimentos que adquiri nos cursos do SENAI. Antes eu não pensava em empreender, tive esse despertar na disciplina voltada para o assunto na grade dos cursos”, contou ele.

Para o auxiliar de manutenção da empresa Diebold Nixdorf, Stanley Fernandes dos Santos, 23, e ex-aluno dos cursos do SENAI (Eletricista Instalador Residencial, Eletricista de Manutenção Industrial, Montagem e Manutenção de Computadores, CLP Básico e Avançado, NR10 e o do curso técnico em mecatrônica), os conhecimentos adquiridos estão alinhados com as exigências do mercado de trabalho.

Santos contou que foi em busca do SENAI já tendo interesse nas áreas de elétrica e mecânica e quis se qualificar ao máximo para se tornar apto e atender as demandas do mercado. “Basicamente na empresa que eu trabalho hoje, atua na implantação de novas infraestruturas elétricas, criando circuitos de iluminação, fazendo todo o ponto de alimentação para linhas industriais que se usa na parte elétrica residencial (predial)”, explicou, ao dizer que sua atuação está diretamente ligada aos cursos feitos no SENAI.

O curso de pintor de obras trouxe a autonomia que a ex-aluna do SENAI, Luciana Nascimento, 43, buscava.  Com o curso de qualificação concluído no começo de abril, Nascimento está pintando aos poucos a própria casa e pretende atuar também no mercado.

“Procurei o SENAI para me tornar capaz de atender as minhas necessidades e não precisar terceirizar serviços em que poderia me tornar apta a fazer. Sendo na pintura ou na instalação de sistemas elétricos de segurança, que é o próximo curso que farei no SENAI”, relatou ela, acrescentando que o desejo pela qualificação pode ajudar também na renda familiar.

No curso feito pelo SENAI, Nascimento diz que apesar da predominância masculina, o mercado está aberto para todos. “Não me importo com as pessoas que dizem que o curso é só para homens, na turma já tinha algumas mulheres, assim como eu, e há espaço para todos”, disse ela.

A Escola SENAI Demóstenes Travessa comemorou a data em comemoração aos 15 anos, com apresentação da banda do Exército, peça teatral e atividades musicais com coral formado por alunos dos cursos de Almoxarife de Obras, Assistente Administrativo e Auxiliar de Manutenção Predial da ESDT.

Na ocasião, a filha disse orgulhosa que seu pai era indagado por muitos alunos, fossem do próprio SENAI ou de outras instituições, sobre o porquê do SENAI ser tão respeitado. “As pessoas diziam: Nossa, você recebe tão bem as pessoas! E a resposta era aquilo que passamos a chamar de ‘regra de ouro’: ‘Eu recebo os filhos dos outros, como eu quero que os meus filhos sejam recebidos”, disse ela ao descerrar a placa em nome do seu pai.

“Era isso que ele queria para cada um dos alunos que estão aqui dentro hoje. Que eles cresçam e que sejam as melhores pessoas que eles podem ser, na vida profissional e na vida pessoal, dentro de suas famílias”, afirmou emocionada.

 

Comente esta notícia
Pular para a barra de ferramentas