Publicada em 28 de novembro de 2019 às 12h39

Com Bolsonaro, ‘fesPIM’ mostra força da indústria do Amazonas

O presidente da FIEAM, Antonio Silva (centro) em visita ao estande da Moto Honda, ao lado de diretores da empresa

Com 130 expositores do segmento industrial e a expectativa de receber 40 mil visitantes em três dias, foi aberta ontem (27), no Centro de Convenções do Studio 5, a Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus, a ‘fesPIM’, realizada pelo Instituto de Inteligência Socioambiental Estratégica da Amazônia, o Piatam, em cooperação técnica com a Suframa. Na abertura, o presidente Jair Bolsonaro, convidado de honra, foi ovacionado por uma plateia de empresários da indústria e políticos do Amazonas, ao dizer que a Zona Franca de Manaus garante o domínio do Brasil sobre a região. “Enquanto existir (a ZFM) a Amazônia é do Brasil”, discursou.

Acompanhado da esposa, Michele, Jair Bolsonaro foi apresentado aos números mais recentes do desempenho do PIM, em faturamento, geração de emprego e capacidade instalada, por parte do superintendente da Suframa, coronel Alfredo Menezes. E ouviu reivindicações, como a do prefeito de Manaus, Arthur Neto, sobre a necessidade de investimentos em infraestrutura para salvar o modelo de desenvolvimento regional.

“Vossa excelência tem sido muito correta e consequente quando diz que vai garantir os benefícios fiscais da Zona Franca de Manaus, mas isso não basta, é preciso investir na infraestrutura dela inteira”, disse Arthur, e citou alguns dos itens que também estão na pauta atual do segmento industrial amazonense, como telefonia e internet, novo sistema portuário, transformação dos rios em rede hidroviária, recuperação da BR-319, além de investimento sério em capital intelectual e centros de pesquisas.

No estande do SENAI, os cursos da área de mecatrônica são o destaque

Entre as lideranças do segmento industrial presentes, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), Antonio Silva, disse que o Polo Industrial de Manaus e a própria Zona Franca podem se sentir gratificados por motivarem duas visitas do presidente a Manaus em menos de quatro meses. A primeira aconteceu no final de agosto, quando Bolsonaro presidiu a 287ª reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS).

Na fesPIM, que só começou a funcionar para o público, já sem a presença de Bolsonaro, no início da tarde de quarta-feira, a FIEAM, junto com o Centro da Indústria do Estado do Amazonas (CIEAM) está dividindo espaço com o Serviço Social da Indústria, SESI, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, SENAI, e o Instituto Euvaldo Lodi, o IEL. De acordo com a Suframa, até esta sexta-feira (29), além dos estandes das empresas do PIM e de instituições públicas, funciona no local um espaço duty free (sem impostos) para venda de itens produzidos na Zona Franca, além de importados.

Faturamento do PIM

Ao presidente Jair Bolsonaro e demais convidados, o superintendente da Suframa apresentou a fesPIM como um novo conceito na defesa do modelo Zona Franca de Manaus, segundo ele, “um dos melhores ambientes de negócios da economia nacional para receber investimentos, gerando oportunidades de emprego, renda, melhoria da qualidade de vida do nosso povo”.

Menezes destacou os resultados excepcionais do PIM em 2019, a começar pelo faturamento de R$ 65 bilhões, um crescimento da ordem de 7,53%, com base nos resultados até o mês de agosto, comparado ao mesmo período do ano passado, segundo ele, o melhor dos últimos seis anos. Atualmente, o PIM é composto de cerca de 500 empresas e gera pelo menos 90 mil empregos diretos e 360 mil indiretos.

Ainda de acordo com os dados apresentados pelo superintendente da Suframa, em setembro deste ano, a produção da indústria do Estado do Amazonas cresceu aproximadamente 17% e, em outubro, o PIM atingiu praticamente 80% do uso de sua capacidade instalada, segundo ele, o melhor índice desde 2014.

Ele destacou ainda o desempenho expressivo do polo de duas rodas do PIM, em 2019, tanto pelo volume de empregos diretos gerados como pelo fato de ser o mais verticalizado em termos de cadeia produtiva, com um crescimento de 16%.

A respeito da recuperação da BR-319, um dos principais gargalos na infraestrutura dos Estados do Amazonas e Roraima, coronel Menezes confirmou o asfaltamento do primeiro trecho de 50 quilômetros a partir do segundo semestre de 2020, e a conclusão desse serviço até 2021.

Menezes reafirmou ainda o papel da Zona Franca de Manaus como fonte de riqueza para a economia local, a prova de que o desenvolvimento e o meio ambiente podem andar lado a lado com a sustentabilidade e a defesa da floresta.

 

Instituto Piatam

O presidente do Instituto Piatam, Alexandre Rivas, apresentou a instituição, nascida na Universidade Federal do Amazonas, em 2007, como dona de um DNA 100% amazônico. Ao destacar o estudo Instrumentos Econômicos para a Proteção da Amazônia – a Experiência do Polo Industrial de Manaus, elaborado pelo instituto, disse que, pela primeira vez o PIM foi apresentado com rigor técnico-científico no cumprimento da sua missão original e na produção de uma externalidade altamente benéfica para a região, para o País e para o mundo ao contribuir para a proteção da floresta amazônica. “Com os anos, o PIM tornou-se o maior projeto de proteção de florestas tropicais do planeta”, disse.

A fesPIM, segundo Rivas, tem como objetivo não apenas mostrar o que é produzido no Polo, mas além disso mostrar que cada empresa que aderiu está cada vez mais ciente do seu papel para o desenvolvimento sustentável e consequentemente para a proteção da Amazônia. Rivas deu como exemplo de sustentabilidade as cadeiras onde as autoridades estavam sentadas, feitas de papelão reciclado.

“Esta feira é uma ação de altíssima relevância e apesar do envolvimento de órgãos públicos não utilizou sequer R$ 1,00 de dinheiro público. “Tudo o que temos aqui e na feira foi patrocinado por empresas do PIM, o que mostra o aumento da responsabilidade e consciência coletiva da importância do Polo e dos desafios que teremos pela frente, pois está na hora de mudarmos de uma economia fóssil para uma bioeconomia”, disse.

O evento de abertura da fesPIM contou ainda com a presença dos governadores do Acre e de Roraima, respectivamente, Gladson Cameli e Antonio Denarium, além do governador do Amazonas, Wilson Lima.

Comente esta notícia
Pular para a barra de ferramentas