Publicada em 3 de julho de 2019 às 4h28

BNDES apresenta novas linhas de financiamento para empresas de médio porte na FIEAM

A Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM) por meio do Centro Internacional de Negócio (CIN Amazonas) promoveu ontem (2) em sua sede encontro entre empresários e equipe do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para analisar as duas novas linhas de crédito disponibilizadas, com juros de 9% a 11% ao ano. O evento foi realizado no auditório Auton Furtado Junior e contou com a participação do superintendente do BNDES, Claudio Leal.

“Para nós é uma satisfação tê-los aqui para esclarecermos as linhas de financiamento disponíveis para as empresas locais”, disse o vice-presidente da FIEAM, Nelson Azevedo, que também destacou a iniciativa e o esforço do banco de desenvolvimento em se aproximar cada vez mais do Amazonas.

Como novidade para as empresas de médio porte, o BNDES apresentou o BNDES Crédito Direto Médias Empresas. A linha é voltada para financiamentos acima de R$ 10 milhões e que permite financiamento de até 100% dos itens financiáveis e 40% do valor total na forma de capital de giro, em operações que poderão ser contratadas diretamente com o BNDES.

De acordo com o gerente do Departamento de Relações com o Governo da empresa pública privada, Ian Ramalho Guerriero, os recursos podem ser investidos em obras civis, montagens e instalações, móveis e utensílios, máquinas e equipamentos e inovação, dentre outros. “O objetivo é induzir ganhos de produtividade, sustentabilidade, competividade e governança nas companhias apoiadas”, afirma ele.

O prazo total de pagamento será de até 120 meses para investimentos (incluindo até 24 meses de carência) e de 48 meses para giro (incluindo até 12 meses de carência). O custo financeiro será a Taxa de Longo Prazo (TLP), mais spread de risco e remuneração básica, que varia de 1,7% ao ano (para investimentos) a 2,1% ao ano (para capital de giro). O Banco apoia a totalidade dos itens financiáveis.

Lançado há três semanas, o BNDES Direto 10 é voltado para financiamentos de projetos e planos entre R$ 1 e R$ 10 milhões para investimentos em setores de alta complexidade tecnológica e intensivos em conhecimento: tecnologia da informação e comunicações (TIC), educação, economia criativa, eficiência energética, complexo industrial da saúde, autopeças, bens de capital (BK) e defesa, como explica Wellington Barros, do Departamento de Tecnologia e Informação do BNDES.

Os valores dependem das condições específicas para cada segmento, tendo como valor mínimo por operação de R$ 1 milhão, com participação do BNDES em 100% dos itens financiáveis. Os prazos variam entre sete anos, em caso de financiamento no complexo industrial da saúde, até 11 anos, em eficiência energética, este com carência de 1 ano.

De janeiro a março de 2019, foram aprovados R$ 91 milhões em operações para o Estado do Amazonas, a maioria para setores de infraestrutura (75% do total), via BNDES Finame (93%). Os desembolsos neste mesmo período foram de R$ 57 milhões. No ano de 2018, as aprovações e os desembolsos para o Amazonas foram de R$ 328 milhões (dos quais 18% para médias empresas) e R$ 279 milhões (dos quais 28% para médias empresas) respectivamente, de acordo com Guerriero.

Comente esta notícia
Pular para a barra de ferramentas