Publicada em 15 de janeiro de 2019 às 9h36

FIEAM recebe deputados federais para discutir ZFM

Para compreender melhor os desafios econômicos do Amazonas, e  principalmente os problemas da Zona Franca de Manaus (ZFM), os deputados federais eleitos Marcelo Ramos (PR-AM), Sidney Leite (PSD-AM), Pablo Oliva (PSL-AM) e Alberto Neto (PRB) participaram de Seminário na Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), na última sexta-feira (11).

Para o vice-presidente da FIEAM, Nelson Azevedo, o interesse dos deputados em conhecer sobre o modelo ZFM satisfaz os empresários e todos que sabem da importância que o modelo tem, não apenas para o Amazonas, mas para o país. Nelson disse que em muitos anos de FIEAM nunca houve interesse tão grande dos representantes do Amazonas no Congresso em aprofundar as discussões em relação à sobrevivência e expansão do modelo econômico.

“Deputados, contem com o total e integral apoio desta casa, vamos batalhar juntos nessa jornada e recuperar a autonomia da Suframa. É vontade do povo brasileiro e do povo amazonense que mudanças ocorram em prol do modelo chamado Zona Franca de Manaus”, disse Azevedo.

Nelson alerta que é muito importante que todos saibam que na ZFM todo e qualquer empreendimento, exceto quando aprovado pela Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), seja no âmbito do estado ou da Suframa, o empresário só passa a usufruir o benefício fiscal, a partir da emissão da primeira nota fiscal, até então, fica o investidor com o risco total do investimento.

“Quando somos atacados, costumamos dizer que não recebemos renúncia fiscal. É um benefício fiscal, porque tem uma série de contrapartidas para cumprir, para poder usufruir. Como por exemplo, em nível estadual, quem mantém 100% a UEA é o Polo Industrial de Manaus (PIM)”, diz Azevedo.

Um dos processos apresentados no seminário foi o de “Logística na Zona Franca de Manaus”, pelo diretor adjunto da Coordenadoria de Sistema de Transporte e Logística da FIEAM, e professor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Augusto Rocha. Para ele, o problema não é distância e, sim, falta de infraestrutura no Amazonas, impedindo seu crescimento econômico. Há ainda problemas como a falta de manutenção das vias do Distrito Industrial e da BR-319. Também faltam mais possibilidades de integração e produção no interior do Amazonas, quanto à produção de bionegócios.

Para o diretor, é muito importante a atuação dos deputados, sobretudo no apoio à logística, por meio da atuação na maior participação orçamentária da União em prol do setor no Amazonas, pois 2,5% do PIB deveriam ser investidos ao ano para reduzir as deficiências de infraestrutura.

Além de Rocha, o seminário contou ainda com a presença e apresentações do presidente da Eletros, Jorge Junior, que analisou a ZFM e a sua relação com o novo governo; da representante da Suframa Ana Maria Souza, sobre a ZFM e sua legislação; do representante da Ufam, Maurício Brilhante, que demonstrou provocações e contradições da ZFM); Marcelo Pereira (também pela Suframa), que detalhou a situação, desafios e oportunidades para a Pesquisa & Desenvolvimento na região; e do professor José Alberto Machado, que discorreu sobre comportamentos e oportunidades para a construção do futuro do Amazonas.

Comente esta notícia
Pular para a barra de ferramentas