Publicada em 15 de maio de 2012 às 4h54

INDUSTRIAL DO ANO 2012 – Prêmio da FIEAM reúne figurões da indústria brasileira

André Tapajós, Microindustrial 2012

André Tapajós, Microindustrial 2012

Com a presença confirmada do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o empresário mineiro Robson Andrade, e do presidente da Moto Honda da Amazônia, Issao Mizoguchi, a Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM) e o Centro da Indústria do Estado do Amazonas (CIEAM) promovem na próxima sexta-feira, às 20h30, no Clube do Trabalhador do Amazonas, a tradicional noite do “Industrial do Ano”, com a entrega do Mérito Industrial 2012 a empresários e organizações que se destacaram por relevantes serviços prestados à indústria amazonense.

Realizada desde 1965, a cerimônia reúne neste ano o presidente da Moto Honda, Issao Mizoguchi, eleito Industrial do Ano; o empresário André Roberto Lima Tapajós, sócio-administrador da TAP4 Informática, eleito Microindustrial do Ano; e representantes da Recofarma Indústria do Amazonas, empresa que fez jus ao título de Maior Exportadora de 2011.

O grande destaque da noite será a outorga da mais importante condecoração da indústria brasileira, a medalha da Ordem do Mérito Industrial, concedida pela CNI ao ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Mauro Luiz Campbell Marques.

 

Novo presidente é ‘cria’ da Moto Honda

 

Eleito “Industrial do Ano”, pela FIEAM, Issao Mizoguchi é o primeiro brasileiro a assumir a presidência da Moto Honda da Amazônia, cargo que ocupa desde o último dia 1º de abril. O executivo construiu a maior parte da sua carreira na planta da empresa no Polo Industrial de Manaus, onde começou aos 24 anos, então recém-formado em engenharia mecânica, como empregado temporário. Em 2009, depois de 25 anos em Manaus, Mizoguchi retornou a São Paulo para assumir a vice-presidência comercial da Honda.

Aos 53 anos de idade e 27 de empresa, Mizoguchi nasceu em São Bernardo do Campo (SP), é filho de mãe brasileira e pai japonês. Sua chegada à presidência da empresa e à vice-presidência sênior da Honda South America, cargo que assumiu na mesma ocasião, é a concretização, segundo ele, de algo que estava planejado há muito tempo e tem a ver com a política de gestão da empresa que, ao longo do tempo, nacionalizou não só os componentes, mas também os cargos de gestão.

Para o executivo, o fato de a empresa ter um presidente brasileiro, que fala português, agilizará alguns processos na fábrica. “Além disso, depois de tantos anos na produção consigo enxergar facilmente as nossas necessidades e oportunidades de melhoria para seguirmos aprimorando a qualidade de nossos produtos. Com isso, certamente a equipe terá maior facilidade para me apresentar os projetos”, disse.

Formado em engenharia mecânica, em São Paulo, Issao Mizoguchi tem no currículo a criação do departamento de engenharia de produto na fábrica de Manaus. Ele diz que hoje a planta da Moto Honda no PIM é a mais bem equipada dentro da empresa, os laboratórios de emissões e controle de qualidade são de altíssima tecnologia, o que segundo o presidente, representa investimento para o futuro.

Industrial do Ano_Issao Mizoguchi

Industrial do Ano_Issao Mizoguchi

Para microindustrial, ‘fazer o certo dá certo’

 

O empresário André Roberto Lima Tapajós, da TAP4 Informática, é o Microindustrial de 2012. Com o lema “Faz certo que dá certo”, a empresa deste jovem de 34 anos atua no desenvolvimento de aplicativos para aparelhos portáteis como Smartphone e tablets.

André Tapajós acumula vasta experiência na área de tecnologia da informação, adquiridas no curso de Analista de Sistema da Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi), e nas fábricas do Polo Industrial de Manaus (PIM), bem como no exterior.

Antenado nos lançamentos da Apple e das demais multinacionais que produzem celulares e tablets, André logo identificou a carência do mercado Mobile e começou a estudar a ideia de criar uma empresa que fosse inovadora e atendesse à demanda por programas e serviços para esses aparelhos.

Há 16 meses, assumiu o risco de ser um pequeno empreendedor e realizou o sonho de colocar em funcionamento a TAP4 Informática, instalada no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), empregando cerca de 20 funcionários nas áreas de design de aplicativos, sistemas, programação, teste e administrativo.

Os desafios de André não param. E seu próximo sonho é consolidar a TAP4 como a melhor desenvolvedora Mobile do Brasil, com forte atuação no mercado internacional.

Toda dedicação e esforço deste empresário já vêm dando bons resultados, fidelizando clientes no Estado, no Rio de Janeiro e Nordeste.

 

Recofarma, a exportadora do ano

 

Em 2011, a Recofarma tomou o posto de maior exportadora do Polo Industrial de Manaus (PIM), com a geração de 120 milhões de dólares em exportações.

A Recofarma Indústria do Amazonas pertence à The Coca-Cola Company e é responsável pela produção de concentrados e bases de bebidas dos produtos Coca-Cola. Atualmente, emprega 350 funcionários, sendo 200 efetivos e 150 prestadores de serviço. No total, gera aproximadamente 1.300 empregos indiretos.

Segundo o diretor de operações da América Latina da Coca-Cola, Jório Veiga, a empresa exportou no ano passado 48 fórmulas de concentrados para os mercados da Venezuela (quatro fábricas), Colômbia (oito fábricas) e Paraguai (uma fábrica). “Somos a 3ª maior fábrica de concentrados do mundo e 75% da nossa produção é destinada ao mercado interno brasileiro, enquanto 25% destinam-se para as exportações”, disse o diretor.

Uma das fórmulas da Recofarma, que faz da empresa um excelente lugar para se trabalhar, é o respeito que a indústria tem pelos seus associados. Além de um pacote de benefícios vantajoso, a empresa trabalha com política de desenvolvimento e reconhecimento dos funcionários, tratamento igualitário, ética, estímulo ao lazer e cultura, ações de cunho social e ambiental, entre outros. “As pessoas aqui são comprometidas com os desafios. Tudo porque há um ingrediente fundamental em nossos associados: a paixão”, afirma Jório.

Ser a maior exportadora do Polo Industrial de Manaus (PIM) é um grande desafio, visto que falta infraestrutura logística na região. Para o diretor Veiga, os principais gargalos enfrentados estão nos órgãos públicos responsáveis pelo desembaraço e fiscalização de mercadorias. “Falta flexibilidade de horários de atendimento e contingente maior de funcionários nestes órgãos, pois atualmente não trabalham nas condições ideais para suportar o crescimento do PIM”, disse. “Outro desafio são as barreiras fiscais e aduaneiras impostas por alguns países que acabam dificultando o trânsito do material que importamos, além da burocracia enorme na liberação de novas empresas de transporte para outros países”.

 

Microindustrial 2012 com os sócios, Luciano Basto e Mirel Pina

Microindustrial 2012 com os sócios, Luciano Basto e Mirel Pina

Campbell recebe Ordem do Mérito Industrial

 

Criada em 1958 para distinguir personalidades e instituições que tenham se tornado dignas de reconhecimento e admiração pelo setor produtivo brasileiro, a Ordem do Mérito Industrial é a mais importante condecoração da indústria brasileira.

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Mauro Campbell, será o 4º amazonense a receber a medalha. Os homenageados anteriores foram o fundador e primeiro presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), Isaac Sabbá, que recebeu a comenda em 25 de maio de 1992; o conselheiro da FIEAM, Moyses Israel, que foi homenageado em 25 de maio de 2000, e também o empresário e ex-presidente da FIEAM, José Nasser que recebeu a outorga em 25 de maio de 2010.

Segundo o ministro Mauro Campbell, “o papel da CNI no desenvolvimento e implantação de políticas públicas que incrementam o segundo setor da economia brasileira é evidente e superlativo, daí a imensa honra de que se reveste a outorga desta condecoração”.

Sobre os amazonenses que também receberam a comenda, Campbell afirma: “São três figuras extraordinárias, arrojadas o suficiente para investir seus patrimônios no Amazonas beneficiando a sociedade amazonense como um todo. Confesso que integrar essa augusta galeria de agraciados só acrescenta maior ônus a mim, ao meu trabalho e à minha família” disse.

Comente esta notícia
Pular para a barra de ferramentas