Exército apresenta oportunidade de negócios com fornecedores locais

General de Exército Geraldo Antonio Miotto apresenta participação do Exército Brasileiro na economia da região

“Todos os dias o Exército Brasileiro injeta 2,5 milhões de reais em Manaus e R$ 55 milhões por mês, isso mostra que há oportunidade para o fornecedor local”, destacou o comandante do Comando Militar da Amazônia,  general de Exército Geraldo Antonio Miotto, em workshop, promovido no último dia 27, na Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam).

O workshop teve por tema as oportunidades de negócios entre o Exército Brasileiro e fornecedores do Amazonas para compras locais, com objetivo de atrair investimentos da indústria local e deixar mais transparente os processos de licitações.

As principais oportunidades de negócios destacadas pelo Exército foram nas áreas de transporte aéreo; transporte fluvial; ramo alimentício; serviços, peças e ferramentas automotivas; serviços e produtos hospitalares.

O valor gasto pelo Comando Militar da Amazônia com produtos e serviços no estado foi de aproximadamente R$ 319 milhões em 2016, de acordo com o general Miotto, para quem a região tem potencial para atender a manutenção do setor naval e transporte terrestre, porém grande parte da demanda é atendida por empresas localizadas no sul e sudeste do país.

Presidente do Sindnaval, Matheus Araújo falou de concorrência no polo naval

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Naval do Amazonas (Sindnaval), Matheus Araújo, disse em debate durante o workshop que o sindicato sofre com a concorrência de estaleiros virtuais.

“Temos potencial para atender não só o Amazonas, mas toda a América Central, porém sofremos com a concorrência de estaleiros virtuais”, disse Araújo. Segundo o presidente, o Exército poderia realizar uma vistoria na hora das licitações.

O General acatou a sugestão e acrescentou que irá colocar uma observação nos editais de licitações, tendo em vista o interesse do Exército Brasileiro no desenvolvimento da economia da região Amazônica.

Para fornecimento de produtos ou prestação de serviços ao Exército Brasileiro, o primeiro passo a ser dado pela empresa é o cadastro no Sistema de Cadastramento Unificado de Fornecedores (Sicaf). Segundo o chefe da Seção de Licitações e Contratos do Comando Militar (Salc/CMA), major Eudes Ibernom, os processos de licitações e cadastros de fornecedores são transparentes e de fácil acesso. Para mais informações, acesse o site www.comprasgovernamentais.gov.br.

Pular para a barra de ferramentas